Dreams Matter

Superleggera V4

Sonhos são importantes

O momento em que todos esperávamos finalmente chegou. 

Compartilhamos nosso passo em direção à excelência em engenharia com você, entusiastas da Ducati em todo o mundo.

Todo produto que fabricamos é uma declaração de nosso desejo de perfeição. Mas nenhum é comparável a Superleggera. Neste projeto, modelamos a mais avançada fibra de carbono em formas futuristas de condução aerodinâmica. Aqui realizamos nossos sonhos como engenheiros, fabricantes e pilotos apaixonados.

A nova Superleggera V4 é, antes de tudo, uma afirmação verdadeira. É onde traçamos a linha entre tentar e fazer. É a nossa principal e pioneira criatura.

E tenho muito orgulho de apresentar a você nossa maior obra-prima de engenharia, tecnologia e design, contando a história de seus segredos mais profundos e detalhes mais refinados. Uma história de estilo, sofisticação, desempenho e confiança.

Dedicado a todos os sonhadores.

Claudio Domenicali. 

CEO da Ducati Motor Holding.

Superleggera V4

  • Red - SLV4
Distância entre eixos 1.480 mm (58,3 in)
Altura do assento 835 mm (32.9 in)
Cilindradas
998 cc
Potência
165 kW (224 hp) @ 15,250 rpm - 174 kW (234 hp) @ 15.500 rpm with full racing exhaust i
Torque
116 Nm (85.6 lb-ft) @ 11,750 rpm - 119 Nm (87.7 lb-ft) @ 11.750 rpm com escapamento de corrida i
Quadro
Fibra de carbono "Front Frame"
Peso seco
159 kg (350 lb) - 152.2 kg (335.5 lb) com acessórios de corrida
Equipamentos de segurança
Modos de pilotagem, Modos de potência, Cornering ABS EVO, Controle de tração Ducati (DTC) EVO 2, Controle de empinadas (DWC) EVO, Controle de derrapagem (DSC), Controle de freio motor (EBC) EVO, Calibração automática de pneus
Ajustes de válvulas (km)
24,000 km
Especificações técnicas

Tecnologia Evolutiva

Aerodinâmica

Entrevista com

Edoardo Lenoci,

Ducati Aerodynamic Development Manager.

Na Ducati começamos a pesquisar e desenvolver a aerodinâmica de motocicletas antes de qualquer outra pessoa no mundo. Fomos os primeiros a apresentar inovações em aerodinâmica nas principais competições de motos do mundo. Isso é um fato.

O desenvolvimento de metodologias aerodinâmicas está inevitavelmente vinculado à Ducati Corse e aos protótipos de corrida únicos. Um contexto em que cada milésimo de segundo pode fazer a diferença e onde o nível de excelência é muito alto. Em cada temporada os projetos mudam e evoluem, mas alguns marcos permanecem.

Conversamos sobre isso com Edoardo Lenoci, engenheiro de aerodinâmica.

“O projeto de aerodinâmica GP16 foi sem dúvidas o nosso projeto de melhor desempenho e mais eficaz. A evolução do regulamento do MotoGP não nos permitiu continuar o desenvolvimento nessa direção e todos os perfis aerodinâmicos permitidos hoje preveem o fechamento das linhas em C que, no entanto, é menos eficiente no geral.

O nosso projeto era melhor e há muito tempo buscávamos a forma de continuar o desenvolvimento interrompido em 2017. Dar nova vida ao nosso melhor projeto de aerodinâmica.”

A Ducati sempre teve os motores de melhor desempenho no mundo da corrida, não é nenhuma novidade. Mas quando você está lidando com essas joias de potência, levar a energia para o piso corretamente é tudo. Isso é onde a aerodinâmica faz um trabalho importante.

“A carga vertical que a configuração de asas da GP16 consegue gerar no 1708 é sensacional. Se assumirmos a nossa Panigale V4 como ponto de partida, a atualização do pacote de aerodinâmica do V42020 aumenta a carga aerodinâmica em 30%, àquela implementada no âmbito do projeto 1708 chega até 50%. São números muito significativos, e o impacto no estilo de direção é imediato.” 

A verdadeira inovação não complica: simplifica. O trabalho realizado com a aplicação deste pacote de aerodinâmica no 1708 torna a moto mais fácil de dirigir. Valoriza totalmente toda a potência do veículo, limitando a intervenção dos sistemas eletrônicos necessária para reduzir a potência fornecida. A carga vertical na frente torna a aceleração menos complexa de lidar. A aceleração pode ser mais forte no início e a moto permanece colada ao chão.

“Frequentemente pensamos que uma moto especificamente avançada exija mais trabalho de auxílio eletrônico, mas não é assim. Trabalhar em várias características de dinâmica e aerodinâmica, a moto exige menos intervenções de eletrônica. As superfícies das asas agem de forma inteligente desenvolvendo estabilidade com o aumento da velocidade, reduzindo a necessidade de intervenção de sistemas, por exemplo, de anti-wheeling. Esse aspecto está muito evidente na saída da curva e em plena aceleração onde, limitando a intervenção da eletrônica, o torque do motor é menos reduzido.”

Por exemplo, descobrimos durante os testes em Mugello que conseguimos um ganho de 8 m de liderança na reta no final da última curva graças apenas à aerodinâmica. 8 m são muitos.

Faz parte do DNA da Ducati sempre buscar novas formas e descobrir soluções secundárias inovadoras e inesperadas. Essa imprevisibilidade da inovação é uma parte importante de nosso caráter, de nossa identidade, que permanece inconfundivelmente Ducati mesmo enquanto continua a evoluir.

“Trabalhar neste projeto, desenvolver a aerodinâmica GP16 nesta moto, foi verdadeiramente importante. Não apenas para o incrível desempenho que foi adicionado, mas também para a mudança cultural que significa. Colocando a aerodinâmica na produção dos veículos de duas rodas, a Ducati começou uma mudança cultural, mas a verdadeira cultura do motociclismo não é feita nas pistas do MotoGP, um ambiente de protótipo limitado onde os materiais duram apenas algumas corridas, leva benefício ao apaixonado, permitindo viver sensações antes reservadas somente aos pilotos profissionais. É uma grande transformação. Nos ajuda a aceitar essa revolução como parte da cultura do motociclismo.”

Estética de engenharia

O Design

Entrevista com

Andrea Ferraresi,

Ducati Head of Design.

A Ducati é a única marca de motos que já ganhou o prêmio Red Dot Award e o prestigioso Compasso de Ouro. Somos maníacos por design e criar uma Ducati não é como criar outra moto. Há caráteres essenciais que pertencem apenas a nós. Projetos como Monster, 916, Diavel e Panigale representam uma etapa na história do design de sua categoria.

A filosofia de design da Ducati foi construída por subtração, reconhecendo o estilo mais puro na pesquisa profunda de moldes fundamentais. Até a estética da cor é criada com respeito à natureza dos elementos. No 1708 é possível distinguir com o Vermelho Ducati a cor original dos preciosos materiais que a compõe: os diferentes tipos de carbono, titânio e alumínio.

Conversamos com Andrea Ferraresi, Ducati Head of Design.

“Se o design das supermotos Ducati foi sempre tecnológico, o projeto 1708 se torna um resumo de estilo.

O trabalho da equipe de design se desenvolveu principalmente na expressão de formas e materiais. Trabalhamos para criar uma dança de linhas e profundidades entre o vermelho Ducati e o carbono visível. 1708 é um projeto no qual, mais do que nunca, foi indispensável valorizar a beleza da técnica. O nosso trabalho foi orientado para permitir que a estética da eficiência funcional sobressaia.”

  

O projeto 1708 é a moto mais avançada que a Ducati já produziu. Cada parafuso, cada componente, é pesado e controlado para permitir a melhor proporção de peso/potência. Os detalhes estéticos não são exceção, para os quais as licenças de estilo gerais não podem obviamente ser utilizadas.

“Se a tarefa de um designer industrial é valorizar a estética da tecnologia, com o 1708 a tarefa foi elevada à enésima potência. Se em motos menos extremas são possíveis alguns descontos estéticos no rigor da engenharia, aqui não. Nenhum. No projeto 1708, as 5 gramas a mais para o adesivo e duzentas gramas para a pintura especial não são contabilizadas. Não há detalhes, nem mesmo estéticos, que podem alterar o desempenho. Em todos os aspectos é tratada como uma moto de corrida.

Neste sentido é um projeto muito desafiador para trabalhar porque o designer deve intervir cuidadosamente, de forma muito discreta e decidida, cuidando dos detalhes para que esteja presente inequivocamente a assinatura Ducati.”

É comum para a Ducati abordar seu design mais exclusivo com uma pintura inspirada pelo MotoGP no ano em que o design começa. O 1708 não foi exceção. O carbono visível alterna com as linhas branca e preta sólidas que tem como objetivo aprimorar o material nobre do cárter.

“A escolha de não colorir as asas foi fortemente valiosa, pois a inclinação dos gráficos foi pensada para incorporar nas linhas da moto, dissolvendo a dimensão física em uma dimensão visual. Esse jogo é particularmente evidente no momento onde é possível girar ao redor da moto, cujas proporções mudam e são enriquecidas com pontos de fuga interessantes à medida em que se aproxima.”

A aerodinâmica é o elemento de evolução mais importante desta Superleggera V4 na qual foi fundamental medir a intervenção como um designer. Tem um ponto de início visual no qual são elaborados todos os detalhes estéticos da moto.

“A atenção obsessiva aos detalhes foi seguramente o maior esforço em termos de projeto, pois essa moto nasceu para correr e cada milímetro visível deve transmitir a potente vibração estética da moto de corrida mais exclusiva do planeta.”

Motor

O pdder da leveza do Motor

Entrevista com

Enrico Poluzzi,

Ducati Engine Design Manager.

O design do motor certamente é uma das características mais marcantes da Ducati. Um campo onde a distribuição desmodrômica se tornou uma assinatura exclusiva. Desenvolver o motor para o Project 1708 significa realizar o propulsor Ducati mais sofisticado de todos os tempos. Peça por peça, trabalhando em cada componente para torná-lo o mais leve possível.

Encontrar o espaço para a inovação em cada detalhe.

Conversamos sobre isso com Enrico Poluzzi, Gerente de Design de Motor da Ducati.

“O início do trabalho no projeto 1708 foi realmente entusiasmante: tivemos liberdade para pensar em soluções não convencionais e usar a nossa criatividade. O campo de jogo é mais amplo, a minha equipe teve a preciosa autonomia de projetar independentemente dos custos. e ter acesso ao uso de materiais, processos, tecnologias que usamos geralmente apenas no mundo das competições.

Também é um momento extremamente envolvente para todos, porque cada grupo de trabalho sabe em quais componentes há uma margem técnica ou uma alternativa tecnológica e, portanto, põe em jogo o seu conhecimento específico. É um projeto no qual há um mandato para fazer coisas impossíveis.”

O entusiasmo é seguido pela competência do desenvolvimento de engenharia técnica. Como em qualquer outra área do projeto 1708, nada é deixado ao acaso no desenvolvimento doe motor. Uma análise completa de cada microcomponente é realizada para entender quais são as oportunidades evolutivas, para testar novos materiais e novas geometrias. Entrar na experimentação futurista para alcançar algo que nunca foi feito antes.

“Quando o projeto começa, enfrentamos a lista de materiais do motor com todos os 600 códigos das peças. Analisamos todos os componentes e depois decidimos no que trabalhar. Em alguns, a pesquisa por soluções experimentais começa; em outros, sabemos que podemos intervir com mais facilidade, porque já conhecemos os seus limites e as margens de desenvolvimento.

A prioridade reside nos componentes realizados nos materiais de maior densidade para avaliar a substituição por materiais mais leves : trocamos todos os parafusos de aperto das bases e dos cabeçotes do aço para o titânio. A mesma escolha também se estendeu aos elementos de aperto menores como os parafusos das coberturas das tampas das cames. Componentes de pequenas dimensões mas muito numerosos.”

A escolha dos materiais é o primeiro passo, acompanhada por um trabalho meticuloso nas geometrias que se desenvolve em duas direções diferentes: a primeira para controlar se novos materiais não apresentam dificuldades de aplicação, a segunda para melhorar e tornar os componentes existentes mais leves.

“Em muitos componentes foi trabalhado o aperfeiçoamento, afinando as espessuras e introduzindo alívios originariamente não presentes . Com essa abordagem revimos, por exemplo, as engrenagens da partida e as árvores de cames que foram trabalhadas com furos de alívio complementares nos lóbulos e longitudinalmente, reduzindo a seção em todo o comprimento da árvore.

42% dos componentes foi redesenhado para obter, em alguns casos, algumas dezenas de gramas. Adicionando-os, no entanto, o impacto é extremamente consistente e produz uma redução de peso de 2,8 kg em relação à versão montada na Panigale V4 S.

Um componente onde conseguimos obter uma economia significativa de peso é o grupo bombas de óleo; neste caso, intervimos simplificando drasticamente o design do grupo, diminuindo de 3 para 2 o número das bombas de recuperação. Graças ao redesenho completo dos canais dentro da bomba, conseguimos manter manter inalterada a sua funcionalidade , ou seja, drenar o óleo dos mesmos ambientes e com a mesma eficácia da bomba padrão.”

O trabalho de desenvolvimento deste motor também adiciona características únicas à sensação de dirigir. No que se refere ao alívio nas mudanças de direção, e principalmente no que se refere ao aumento da reatividade gerada agindo na inércia dos componentes do volante. As habilidades de engenharia da Ducati são 100% exploradas em cada etapa, a fim de criar um motor que tenha a sua própria característica específica.

“Em relação à V4 base, há um trabalho de redução todas as massas do volante, principalmente aquelas ligadas ao grupo do acoplamento obtidas bielas de titânio (e, portanto, reduzindo também os contrapesos do virabrequim). Os elementos que fornecem a maior contribuição para a inércia das massas rotativas do motor são todos aliviados: isso implica uma maior rapidez ao aumentar e ao reduzir as rotações. Portanto, o motor é projetado para reagir instantaneamente às exigências do piloto.

Foi um trabalho exigente, de cinzel, porque os componentes de partida do motor padrão já possuem um alto nível de otimização. Por isso, agimos nos detalhes, adicionamos furos, diminuímos espessuras para ganhar peso sem, no entanto, e isso é muito importante, prejudicar a confiabilidade: os componentes do motor do Projeto 1708 são deliberados usando os mesmos padrões adotados para os componentes dos motores de produção normal, não há desconto.”

Cada componente do motor foi levado ao limite A complexidade dos processos é muito maior. E, por conseguinte, os controles e as simulações devem estar atualizados para levar a minúcia artesanal à confiabilidade industrial. A equipe de Enrico submete o projeto à horas de FEM e à simulação estrutural. Para o motor de 1708, a Ducati realiza um processo de radicalização semelhante ao que a Ducati Corse faz para os motores de competição, mas com coeficientes de segurança típicos de um produto homologado para a produção de série

“É um motor de competição que, porém, deve ter garantia para toda a vida. Isso envolve outras precauções. Por exemplo, o titânio é um material nobre, mas gera mais atrito nas superfícies de deslize. Esse aspecto deve ser especialmente mantido sob controle nos parafusos, a partir do momento que no ato do aperto deve ser garantida uma carga axial certa e repetível . Por isso, utilizamos um revestimento específico para eliminar totalmente esse problema .”

Ter o mandato de excelência permite o crescimento individual e de grupo da Ducati, porque mesmo as ideias descartadas levam a equipe a aprofundar as inovações tecnológicas experimentais. É uma busca por novos limites de desempenho que estabelece as bases para o futuro, gerando uma criatura automobilística verdadeiramente exclusiva.

“Participar do desenvolvimento do motor 1708 é realmente uma experiência única. É um trabalho que enche toda a equipe de orgulho, e também de entusiasmo e energia no que diz respeito à liberdade criativa que é concedida. Sob todos os aspectos, torna-se um momento de pesquisa e desenvolvimento que afeta o conhecimento da equipe em nível global. Somos estimulados a procurar novas soluções também fora de qualquer padrão consolidado. Isso nos permite ousar e sentir o projeto como uma expressão das nossas competências e da nossa pessoa. É um grande momento de realização.”

Recursos únicos

Componentes de última geração para a moto perfeita e o melhor desempenho.

Recursos únicos Mecânica
Recursos únicos Componentes
Recursos únicos TFT Dashboard

A emoção da velocidade

O desempenho

Entrevista com

Alessandro Valia,

Ducati Official Test Rider.

A Ducati Superleggera V4 é a melhor motocicleta contemporânea que a engenharia pode expressar. É o sonho que se torna realidade. O resultado da pesquisa mais inovadora sobre dinâmica de material e engenharia. Uma pesquisa que busca ser realizada quando a moto é levada para a pista e testada pelo piloto que pode finalmente sentir as emoções mais intensas.

Conversamos sobre isso com Alessandro Valia, Ducati Official Test Rider.

“É uma enorme emoção. Uma maravilha sem fim. Acima de tudo o orgulho de fazer parte de um projeto tão importante. Depois, o sentido de direção e a meticulosidade ao buscar transformar a excelência técnico-mecânica no desempenho nunca vista antes para uma moto de série.”

A colaboração de designers Ducati com Alessandro Valia, piloto e testador oficial da Ducati, é traduzida em sensações extraordinárias. O trabalho da dinâmica e o redesign dos componentes cria um equilíbrio do chassi nunca visto antes. A extrema complexidade do equipamento tecnológico é voltada para a simplificação da direção.

“A primeira abordagem foi surpreendente. Antes de tudo pela frenagem, saindo do box de Mugello, cheguei na primeira curva e percebi que precisava pressionar muito menos. Então você sente claramente que a moto tende a percorrer as linhas sozinha. É uma característica raríssima que transmite uma grande tranquilidade e permite esquecer o instrumento técnico, concentrando-se totalmente no seu estilo de direção.

O trabalho desenvolvido na moto teve resultados extraordinários. É incrivelmente fluida na mudança de direção.”

A agilidade também é aprimorada pela estabilidade total. Graças ao trabalho realizado em aerodinâmica, a carga vertical dos anexos da asa cola a moto no piso, permitindo uma intervenção menos incisiva do controle de tração na entrega.

“Esta moto tem uma aceleração impressionante. Mas a característica mais desarmante é que você fica absolutamente à vontade, em pleno controle da moto. Graças ao pacote aerodinâmico, você consegue abrir completamente o acelerador, principalmente na saída da curva, sem medo de empinar a moto.

O impacto dos anexos das asas foi especialmente evidente quando testamos em Portimão, uma pista que submete você a variações contínuas de inclinação em velocidade total. Principalmente na saída da primeira reta, onde todas as motos tendem naturalmente a empinar. Ela não perde o controle, permanece totalmente aderente e estável. Uma estabilidade que permite manter a aceleração total quando é mais importante.”

  

A carga vertical ajuda a melhorar a sensação de segurança, uma sensação que ajuda o piloto a repetir, a expressar ao máximo de acordo com a abordagem “Desempenho redefinido”, totalmente Ducati.

“Quando você pilota uma GP ou SBK, o primeiro impacto é a surpresa de sentir o quanto é fácil pilotar. Com a nova Superleggera V4, tenho exatamente esta sensação. Construímos um meio ao mesmo tempo extremo e intuitivo. Para quem deseja experimentar a sensação de superar os limites em cada aceleração e frenagem.

O aspecto que mais encanta é a sensação de segurança que a moto transmite. Apesar da impressionante relação de peso/potência, permanece ágil e intuitiva. É verdadeiramente uma moto pensada para permitir que o piloto expresse seu máximo. Com esta moto, na fase de teste fiz uma volta em Mugello em 1:52:45. São apenas 2 segundos a menos do tempo de Pirro com a Panigale que venceu o CIV SBK. A Superleggera V4 está pronta para as ruas: foi possível saudar com a buzina alguns mecânicos da equipe GP presentes em Mugello no dia depois de registrar o tempo. Imagine a expressão no rosto deles.”

Mais de quinze sessões de corrida dedicadas ao desenvolvimento desta moto foram realizadas. Diferentes mapas foram testados em cada sessão, para refinar a calibração da dinâmica e do motor para o ponto no qual foi praticamente impossível melhorar.

“Dedicamos muita atenção à preparação da gestão do motor. Trabalhamos para encontrar a melhor relação entre o manípulo do acelerador e a resposta da distribuição de potência. Queríamos definir o caráter único desta moto. E conseguimos.

Pilotá-la é um sonho. Agilidade sem confronto. Potência cheia de caráter. Você sente apenas a pura emoção da velocidade.”

Vestuário

Vista o sonho

 

  

Equipamento dos sonhos

No Project 1708, excelência, engenharia e sonho unem-se em uma direção ambiciosa e de alto desempenho. Para dar ao piloto a combinação certa de conforto e segurança e para alcançar o desempenho mais absoluto que somente esta moto pode oferecer, a Ducati oferece um vestuário dedicado onde a tecnologia e inovação alcançam níveis absolutos de excelência.

Fato Superleggera V4

Confecionado em Dainese, em tamanho padrão ou sob medida através do configurador somente para os proprietários da Superleggera V4, o fato inteiro Superleggera V4 é a peça ideal para viver as emoções extremas desta moto em total conforto e máximo controlo e segurança. Fabricada em couro de canguru, resistente, macia, altamente ventilada e com acabamento de incríveis proteções em titânio e pela tecnologia do sistema airbag |D |air® integrado. 

Embelezado pelo exclusivo design criado por Aldo Drudi inspirado pela pintura da Superleggera V4, foi realizado para que você dê o máximo na pista graças também ao avançado sistema eletrónico integrado que permite a coleta de dados de desempenho ao pilotar.

  

Materiais de alto desempenho

A Ducati escolheu o prestigiado couro de canguru para obter a melhor relação entre resistência mecânica e leveza. Com uma espessura inferior a um centímetro e peso reduzido, este sofisticado material garante ao fato extraordinária ergonomia e transpirabilidade, junto com uma excelente resistência a rasgos e abrasões. 

É concluída com resistentes inserções em tecido S1, inserções elásticas biaxiais e microelásticas pensadas para aumentar a robustez do fato e elevar a sensação e o conforto do piloto.

Proteção e segurança

Não é somente uma peça técnica perfeita para acompanhar o máximo desempenho, mas também um verdadeiro e próprio concentrado de tecnologia projetado para garantir total segurança. O fato Superleggera V4 inclui sistema airbag |D |air® racing integrado que cobre costas, pescoço, clavícula e tórax superior. É ativado de forma eletrónica, sem necessidade de ligação física à moto, em caso de derrapagens com rolagem e deslizamento lateral em velocidades superiores a 50 Km/h.

Ao concluir o equipamento de segurança, o fato inclui proteções integradas premium como as inserções em titânio dedicadas nas costas, cotovelo e joelhos e os deslizantes do joelho intercambiáveis, perfeitos para enfrentar o deslizamento em curvas com total controlo.

Capacete Superleggera V4

Nascido para o circuito, o capacete Ducati Corse Carbon 2 Superleggera V4 é a proteção mais exclusiva que tu podes utilizar na pista. A carcaça externa em fibra de carbono de derivação aeronáutica fixada com uma resina especial que confere grande resistência e leveza. A decoração exclusiva dedicada à Superleggera V4 é totalmente manual feita por artesãos japoneses especializados, com a possibilidade de integrar as suas personalizações gráficas.

  

Tecnologia segura

O capacete Ducati Corse Carbon 2 Superleggera V4 é um dos capacetes mais exclusivos já fabricados. Nasce da mesma tecnologia do capacete GP-6 RC desenvolvido para uso na Fórmula 1. É formado por uma calota externa em fibra de carbono leve, composta por cerca de onze camadas aplicadas através de um cuidadoso procedimento manual. Uma tecnologia de derivação aeroespacial que é traduzida em um acessório que combina alta leveza com segurança: a fórmula certa para alcançar o desempenho mais puro em uma moto dos sonhos.

Experiência SBK

ONÍRICO, COMOVENTE, ALUCINANTE.

  

***atualização Covid-19***

Para viver em um clima de serenidade e entusiasmo a extraordinária experiência de conduzir as Superbike Ducati, decidimos adiar para 2021 a SBK Experience, a fim de poder garantir o seu regular desenvolvimento em condições de segurança e assegurar os mais altos padrões de qualidade que caracterizam os nossos eventos Racing. 

A nossa equipa já está a trabalhar para reprogramar esse evento exclusivo e disponibilizar o novo calendário e todas as ulteriores informações.

Emoções insuperáveis

A Ducati e a Ducati Corse oferecem a todos os proprietários da Superleggera V4 a oportunidade de conduzir as motos derivadas de série mais potentes, começando pela nova Panigale V4, para de seguida passar à Superleggera V4 e terminar o dia na Panigale V4 R do campeonato de SBK.

Uma experiência inspirada no Project 1708

Não existem palavras para expressar as sensações sentidas ao conduzir uma moto do campeonato mundial de Superbike.

O sonho, a palpitação, a maravilha. A experiência que todo fã de motos de corrida sempre desejou. A emoção insuperável que tira o sono de todos os condutores. É exatamente esse o significado da Ducati SBK Experience.

Passe um dia com as nossas motos de melhor desempenho, apresentadas pelos nossos especialistas DRE. Aprenda os truques secretos e ouça os conselhos do piloto de ensaio oficial da Ducati Michele Pirro. Termine o dia com uma extraordinária experiência a conduzir a Panigale V4 R Superbike oficial.

Prepare-se para conduzir e experimente-a.

Viva a emoção.

A experiência é individual, pessoal e reservada aos proprietários de Superleggera V4, a Ducati confirmará a cada inscrito a participação real após entrar em contacto diretamente com o cliente e verificar a conformidade com as seguintes condições exigidas.

Requisitos físicos

O participante deve estar em perfeitas condições psicofísicas, principalmente no que diz respeito aos seguintes órgãos e sistemas estimulados durante a condução de motos em condições extremas: musculoesquelético, osteoarticular e locomotor, neurológico, visual, auditivo e cardiovascular. Deve ter idade entre 25 e 65 anos, peso máximo de 100 kg (sem equipamento) e altura máxima de 200 cm. O índice de massa corporal (IMC) deve estar entre 17,51 e 30 “IMC=” (P[kg])/(h^2 [m]) (P = peso expresso em kg / h = altura expressa em metros).

Requisitos necessários antes do evento

Documentação Exigida:

cópia da carta de condução, a indemnização de participação da Ducati assinada pelo participante e o relatório médico fornecido pela Ducati, preenchido e assinado pelo próprio médico assistente.

Requisitos necessários durante o evento:

No dia do evento, cada participante deve receber a credenciação para participar do Centro Médico preparado pela Ducati e uma avaliação positiva – a critério do Organizador – da capacidade de conduzir em pista.

Experiência MotoGP

A EXPERIÊNCIA MAIS INCRÍVEL QUE QUALQUER PILOTO PODE SONHAR.

   

***atualização Covid-19***

Para viver em um clima de serenidade e entusiasmo a extraordinária experiência de conduzir uma Ducati GP, decidimos adiar para 2021 a MotoGP Experience, a fim de poder garantir o seu regular desenvolvimento em condições de segurança e assegurar os mais altos padrões de qualidade que caracterizam os nossos eventos Racing. 

A nossa equipa já está a trabalhar para reprogramar esse evento exclusivo e disponibilizar o novo calendário e todas as ulteriores informações.

Uma ocasião irrepetível

Uma Ducati MotoGP é o veículo de corrida em duas rodas mais rápido do mundo. O cume das capacidades de prototipação da Ducati Corse. Conduzir uma Ducati GP é a experiência mais incrível que um condutor pode sonhar.

Prepare-se para conduzir a Desmosedici GP20

A MotoGP Experience é outra das oportunidades a pagamento reservadas apenas a 30 dos futuros proprietários da Superleggera V4. O programa prevê um dia com um dos melhores instrutores da Ducati, o aquecimento em pista para conhecer os segredos da Superleggera V4 e um final deslumbrante com 4 voltas na Ducati GP. 

A MotoGp Experience é individual, pessoal e reservada apenas aos proprietários de Superleggera.

Requisitos físicos

O participante deve estar em perfeitas condições psicofísicas, principalmente no que diz respeito aos seguintes órgãos e sistemas estimulados durante a condução de motos em condições extremas: musculoesquelético, osteoarticular e locomotor, neurológico, visual, auditivo e cardiovascular. Deve ter idade entre 25 e 60 anos, peso máximo de 100 kg (sem equipamento) e altura máxima de 200 cm. O índice de massa corporal (IMC) deve estar entre 17,51 e 30

“IMC=” (P[kg])/(h^2 [m]) (P = peso expresso em kg / h = altura expressa em metros) 

Requisitos necessários antes do evento:

Documentação Exigida:

cópia da carta de condução, a indemnização de participação da Ducati assinada pelo participante e o relatório médico fornecido pela Ducati, preenchido e assinado pelo seu médico assistente.

Requisitos necessários durante o evento:

No dia do evento, cada participante deve:

• Receber a credenciação para participar do Centro Médico preparado pela Ducati

• Passar no breve teste por escrito que demonstra que assimilou as informações fornecidas durante as instruções técnicas sobre o veículo de MotoGP e especialmente sobre o uso e compreensão do comando de mudança de velocidades, dos travões e das sinalizações no painel de instrumentos.

• Obter uma avaliação positiva da capacidade de condução em pista.

Todas as avaliações são a critério dos organizadores.

Cadastre-se para receber novidades Ducati

 Ao inserir seu endereço de e-mail, você estará sempre atualizado com as últimas notícias e promoções da Ducati. A qualquer momento, você pode concluir seu registro e criar seu perfil na Ducati.com para receber comunicações personalizadas e acessar todos os recursos. 

Você concorda com o processamento
Insira um e-mail válido