Just Monster.
Just Michael. Just fun.

Eles são as novas estrelas de dois dos capítulos mais significativos da história da Ducati. Ambos se esforçam muito no caminho certo e, quando o fazem juntos, é duas vezes mais divertido.

Michael, bem-vindo à Ducati Redline Magazine, estamos ansiosos para vê-lo aqui! Parece que foi amor à primeira vista entre você e o nova Monster. O que mais te impressionou nesta macchina?

R: É verdade, eu gosto muito dessa moto! O que mais me impressionou foi definitivamente sua aparência geral. Só de ver de longe na garagem, já pude apreciar suas linhas esportivas. E então, quando cheguei mais perto e pude perceber todos os detalhes, a Monster revelou toda a sua personalidade. Posso ser mais jovem do que a moto, mas sei exatamente o que isso significa para os fãs da Ducati e os motociclistas em geral. Ter a chance de dar uma espiada, no meu ambiente favorito, a garagem de uma pista, foi muito emocionante. Sem falar na chance de testá-lo na pista!

Conte-nos tudo sobre isso! Quais foram suas sensações andando na pista?

R: As sensações foram no mínimo surpreendentes! Não fazia muito tempo desde minha última saída com a Superbike, e não é que eu não tenha notado nenhuma diferença, é claro, mas eu realmente não esperava esse tipo de desempenho. A Monster me impressionou não apenas em termos de estética, mas também de desempenho. Embora seja uma moto de estrada, ela me permitiu empurrar e pedalar rápido. O motor oferece entrega total, mas ainda é fácil de gerenciar. A caixa de câmbio é muito precisa, a troca de marchas limpa. E depois há o novo quadro, no estilo do Panigale V4. A moto é leve e ágil, mas dá uma sensação de verdadeira estabilidade, mesmo na travagem. É uma bicicleta muito divertida e eu a recomendo para quem quer passar um tempo na pista, seja apenas se divertindo ou testando a si mesmo e tentando ir um pouco mais longe.

Leveza
essencial

Nada é supérfluo na Monster. Toda a moto é projetada para enfatizar a personalidade de seu piloto. Que tipo de piloto você está na pista?

R: Gosto de andar de forma suave e precisa. Não gosto de nenhum espasmo e prefiro fluidez, que é exatamente o que encontrei nesse modelo. Senti-me à vontade assim que subi na bike. É compacto e a posição de pilotagem é confortável e fácil. Também é perfeito quando você quer acelerar. Seus pulsos não se cansam, na verdade você pode ser muito incisivo ao mudar de direção.

E quando você está na garagem? Como você descreveria a si mesmo?

R: Eu sou um piloto muito apaixonado. Talvez eu siga meus instintos um pouco demais às vezes, mas ao longo dos anos tenho trabalhado para transformar essa característica em uma força minha. Em nosso trabalho, às vezes as coisas não saem conforme o planejado. Nessas horas fico agitado, é normal, mas procuro sempre ser positivo para realmente entender os problemas e resolvê-los junto com a equipe.

Instinto e Mentalidade são os diferenciais

Qual é a sua força, aquilo em que você confia quando as coisas ficam difíceis?

R: Eu acho que a força de um cavaleiro deve ser sempre sua cabeça. Isso é o que permite que você faça a diferença. Se você não tentar melhorar continuamente a esse respeito, é difícil, senão impossível, competir em um campeonato como o Superbike, onde você enfrenta verdadeiros campeões. Mas não é fácil treinar sua cabeça. Você precisa trabalhar duro, o tempo todo. E tente aprender o máximo possível com cada corrida que você correr. Principalmente naquelas que você não se sai muito bem.

Então, nesse caso, a última temporada não pode ser particularmente útil para você.

R: Sim, é verdade, a temporada de 2020 superou as expectativas. Mas só até certo ponto. A sensação que tive com a equipe e a Panigale V4 R foi ótima desde os testes iniciais. Eu soube imediatamente que poderia me sair bem, porque quando você se sente à vontade na bicicleta, é mais provável que você obtenha bons resultados.

Moto e piloto como um só nas pistas

A nova Monster é puro prazer. Os fãs da Ducati esperam se divertir muito com você e Scott Redding durante o próximo campeonato de Superbike. Você tem uma mensagem para eles?

R: Eu também espero! Nasci Ducatista e rodar com estas cores é a realização de um sonho para mim. No entanto, considero a minha chegada à equipa Ducati um ponto de partida, não um destino. Só peço que os torcedores nos apoiem durante todo o ano, como só os Ducatisti sabem. Mesmo em uma situação como a que temos agora, nós, pilotos, ainda somos capazes de sentir a paixão dos fãs e por isso é importante que eles estejam lá. Então, minha mensagem para eles é que acreditem em nós, também porque tenho certeza que faremos bem este ano. Não vou dizer o quão bem, porque não sou alguém que gosta de falar sobre seus objetivos. Eu prefiro alcançá-los.


Manchetes
Redline

 Uma seleção do conteúdo mais exclusivo da última revista Redline. 

Cadastre-se para receber novidades Ducati

 Ao inserir seu endereço de e-mail, você estará sempre atualizado com as últimas notícias e promoções da Ducati. A qualquer momento, você pode concluir seu registro e criar seu perfil na Ducati.com para receber comunicações personalizadas e acessar todos os recursos. 

Você concorda com o processamento
Insira um e-mail válido